Maneiras de Ser um Excelente Pai: As Melhores Dicas e Habilidades Parentais | FindMyKids Blog
Fechar

Maneiras de Ser um Excelente Pai: As Melhores Dicas e Habilidades Parentais

tw vk fb copy
fb vk tw
Link copiado

Conforme as crianças se desenvolvem de bebês a crianças e depois adolescentes, muitas coisas mudam, mas os princípios básicos permanecem os mesmos. Como um excelente pai, você deve ponderar o grau de maturidade de seu filho com as regras, responsabilidades e mesada.

Enquanto uma criança pequena é mais egocêntrica e menos compreensiva no que se refere às expectativas dos outros, um adolescente já é capaz de cumprir seus compromissos, negociar e desenvolver sua própria independência e identidade.

Saber ser um bom pai é algo intuitivo. Confie e siga seus instintos. Avalie e aja de acordo com a maturidade demonstrada por seu filho.

Crie estrutura.

Comunique-se regular e abertamente. Escute atentamente. Encoraje seus filhos a compartilhar com você suas experiências e sentimentos.

Demonstre empatia e confiança.

Acima de tudo, aproveite seus filhos, qualquer que seja sua idade. É hora de aprender e compartilhar, conquistando novas vitórias juntos. Esteja presente durante seu crescimento.

Aqui estão nossos conselhos sobre como ser bom com as crianças para que elas percebam todo o seu potencial.

Conteúdos

O que é parentalidade eficaz?

Em resumo, parentalidade eficaz significa o envolvimento com as crianças de forma que elas desenvolvem o conhecimento e habilidades emocionais para se tornarem adultos felizes e produtivos, além de terem comportamentos facilmente adaptáveis.

Para ser bem sucedido em um mundo competitivo, as crianças devem aprender a ser honestas e ter autocontrole. Elas precisam ter a capacidade de tomar decisões e ser independentes, mas ainda gentis e empáticas com os outros. Elas cooperam com os demais baseando-se em princípios morais saudáveis, comportando-se adequadamente, mesmo nos momentos mais difíceis.

Pais que são capazes de incutir essas habilidades e valores em seus filhos fazem um trabalho excepcional em prepará-los para o mundo real. As crianças possuem oito necessidades básicas que bons pais devem oferecê-las para que tenham as melhores chances de sucesso e de felicidade.

  1. Segurança. Estar seguro, aquecido e alimentado são as necessidades mais básicas de uma criança. A segurança duradoura é a base para estabilidade e desenvolvimento.
  2. Estabilidade. Uma família estável e um ambiente comunitário dão à criança uma ideia do seu papel e valor. A tradição e cultura estimulam o senso de pertencimento e de identidade saudável.
  3. Consistência. Lidar com valores, expectativas, emoções e comportamento ajuda a criança a desenvolver a confiança e o equilíbrio. Uma parentalidade segura e constante é a chave.
  4. Apoio Emocional. Ser aceito e reconhecido são aspectos importantes para uma criança desenvolver a confiança, respeito e autoestima. Tais qualidades são a base para uma mentalidade tranquila e independente.
  5. Amor. A sensação de estar em um lugar onde você pertence e é aceito é um dos maiores presentes. Demonstrar o amor incondicional é a última consagração.
  6. Educação. A educação formal é importante na preparação do seu filho para se tornar um membro produtivo da sociedade no futuro, mas as lições de vida são, de muitas maneiras, ainda mais valiosas. Criar um ambiente seguro e estável, onde a criança possa experimentar coisas novas que o preparem para ser independente.
  7. Modelos positivos. Ter a oportunidade de admirar e imitar alguém com características positivas dá a criança a vontade de se desenvolver e ser ainda melhor.
  8. Estrutura. Rotina e estrutura são a base de um desenvolvimento consistente. Ter regras e limites traz mais clareza para a criança de seu papel e do que lhe é esperado.

Cuidar, educar, mostrar expectativas claras e uma rotina coerente prepara seu filho para enfrentar quaisquer desafios e fazer uma transição bem sucedida através de suas fases de desenvolvimento infantil.

Habilidades parentais eficazes

Como pai ou mãe, saber quais habilidades ter e como aplicá-las é um bom ponto de partida para uma conduta parental eficaz. O principal fator é o tempo. Todas as habilidades parentais têm este aspecto em comum: o tempo. Passar o máximo de tempo na companhia da criança é uma oportunidade de investir nas suas necessidades básicas. Pais eficazes transmitem essas qualidades da seguinte maneira.

  • Escute. Observar e escutar com atenção, além da compreensão, permite que você saiba quando e o quê seu filho precisa ou se está passando por problemas. Encoraje seu filho a expressar seus sentimentos e ideias. Aprenda o estilo de comunicação reflexivo para esclarecer o que seu filho está dizendo ao repetir de volta o que foi dito com outras palavras.
  • Seja honesto e transparente. Compartilhe com seu filho seus sentimentos e expectativas e o encoraje a fazer o mesmo. Este hábito ajudará a evitar que muitos conflitos surjam.
  • Resolva os problemas. Motive seu filho estimulando-o a vencer, mas sempre mantendo a honestidade e objetividade. Cuidado para não deixar que suas emoções atrapalhem. Oriente seu filho a resolver seus próprios problemas, sempre que possível. Peça sugestões a ele ao invés de já oferecer possíveis soluções.
  • Respeite. O respeito próprio, pelos outros e pelas propriedades é a marca de um relacionamento saudável. Compartilhe seus valores com seu filho e explique seus propósitos. Uma pessoa que se comporta desta forma ganha a confiança dos demais.

Oriente ao máximo o seu filho, ao invés de determinar suas condutas. Deixe-o ciente de suas expectativas. Demonstre respeito e compreensão. Estimule a conversa sobre seus sentimentos e experiências. Comporte-se com eles da maneira que você gostaria de ser tratado. Quando uma criança se comporta mal, algumas vezes, é um reflexo do exemplo de um dos pais.

Maneiras de ser um bom pai

A seguir, apresentamos algumas dicas sobre o que faz um pai ser um bom pai.

  • Dê um bom exemplo. Se você espera consistência, positividade e respeito do seu filho, você deve demonstrar os mesmos valores. Crianças aprendem imitando bons modelos. Se você cometeu um erro, assuma a responsabilidade e admita.
  • Reconheça, elogie e dê um bom feedback. Crianças prosperam com o reconhecimento e isto reforça o comportamento positivo. Opte sempre pelo feedback construtivo ao invés da negatividade e crítica. A maioria das pessoas, especialmente as crianças, vêem as críticas como uma forma de rejeição, o que pode desencadear um temor e a falta de confiança.
  • Cuide e respeite você mesmo. O respeito e cuidado com si próprio são duas qualidades que não apenas determinam sua habilidade de agir da mesma forma com os outros, como também estabelecem a base para relações saudáveis e próximas. Cuidar e dar valor a si mesmo significa que você terá menos estresse e mais positividade. Sua família responderá com o mesmo otimismo e entusiasmo.
  • Demonstre e ensine habilidades sociais. Habilidades sociais como empatia, respeito, educação, controle emocional são melhores quando são mostrados do que apenas falados. Comunique-se abertamente e com frequência. Faça questão de fazer perguntas aos seus filhos sobre seus dias e suas experiências.
  • Mostre e ensine a gratidão. Pergunte todos os dias aos seus filhos sobre o que eles são gratos. Um momento e local perfeito é na mesa de jantar, com toda a família reunida. Certifique-se de que eles entendem que agir com honestidade e respeito e ser generoso ajuda as outras pessoas e faz com eles que se sintam bem. Ainda mais importante, um doador também sente orgulho e gratidão.
  • Estimule a saúde e a união. Encoraje as crianças a fazer atividades físicas que gostem. Passe um tempo com elas ao ar livre. Transforme as refeições saudáveis em algo divertido. Prepare a comida que seu filho escolher uma vez semana. Façam, pelo menos, uma refeição por dia juntos; o jantar é uma excelente oportunidade para todos conversarem sobre seu dia.

Boas habilidades parentais não significam que os pais façam tudo o que seus filhos desejem, pelo contrário, são aqueles que utilizam a parentalidade eficaz para oferecer um ambiente seguro e acolhedor para seus filhos e guiá-los através de seu crescimento. Bons pais nem sempre fazem tudo certo, mas eles estão sempre ali.

Lembre-se de que esta é uma jornada que vocês trilham juntos. Ser um bom pai é uma tarefa importante na vida, mas curtir os seus filhos é ainda mais importante para vocês dois.

Como ser um bom pai durante tempos difíceis

Aprender a ser um pai melhor não é importante apenas nos bons momentos. Todas as famílias passam por dificuldades. É nesses momentos desafiadores que você irá descobrir o que realmente torna um pai bom.

Quando seu filho tem problemas mentais ou emocionais

De acordo com o CDC, quase 10% das crianças entre 2 e 17 anos são diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção com hiperatividade, ou TDAH. Mais de 7% é diagnosticada com problemas comportamentais ou ansiedade, enquanto mais de 3%, dentro desta mesma faixa etária, recebe um diagnóstico de depressão.

Algumas dessas doenças. frequentemente, aparecem combinadas, o que intensifica seus efeitos e dificulta o tratamento. Quando analisadas em conjunto com o fato de que existem ainda mais crianças com doenças mentais que não são diagnosticadas ou tratadas, o que acaba tendo consequências negativas para sua saúde e desenvolvimento, a situação requer atenção.

A primeira linha de tratamento e a base mais importante para a saúde mental da criança é o seu lar. Quando uma criança está constantemente triste ou quieta, faz ameaças ou tenta se machucar, apresenta medos repentinos e avassaladores, é incontrolável ou se arrisca demais ou apresenta muitas oscilações de humor, é possível que sofra de algum transtorno comportamental ou de humor.

Caso o comportamento da criança mude de repente ou existam sinais de uso de álcool ou drogas, os pais devem ficar alertas. A criança com tais dificuldades de concentração ou de ficar quieta de maneira que interfira com suas atividades escolares ou rotineiras pode ter TDAH.

Caso você perceba algum desses traços, converse com seu filho e descubra se ele tem alguma dificuldade ou se algo o está incomodando. Busque uma opinião profissional, se achar necessário.

Lembre que sofrer de uma doença mental não é um estigma. É uma doença e não um fracasso pessoal. No entanto, a parentalidade eficaz pode fazer uma enorme diferença na resiliência do seu filho e na forma como ele lida com seus problemas. Ter um ambiente calmo e estruturado em casa dá ao seu filho a melhor chance de se tornar um adulto produtivo e feliz.

Como ser um bom pai durante um divórcio

Ainda que um lar estável e amoroso, com dois pais, seja considerado a melhor opção para criação de uma criança, infelizmente, isto nem sempre é possível. Quase metade dos casamentos dos Estados Unidos terminam em divórcio ou separação após um período médio de duração de apenas oito anos. Isto significa que, em muitos casos, as crianças pequenas são afetadas.

O período que antecede o divórcio, geralmente, é turbulento e cheio de brigas e discussões. A culpa e as acusações entre os parceiros é comum. A raiva, frustração e os sentimentos dos pais são projetados nas crianças.

As crianças podem se tornam ainda uma fonte de brigas conforme são trazidas para dentro de uma guerra dos pais pela sua guarda. O que é mais importante de ser lembrado pelos pais enfrentando um divórcio é que as crianças não são objetos que podem ser usados na briga com seu parceiro.

Você precisa saber separar seus sentimentos negativos do seu parceiro da forma como você trata seus filhos. Evite brigar na frente deles. Certifique-se de que eles entendam que não têm nenhuma culpa nem são responsáveis pela infelicidade e pelos conflitos.

Tente deixar suas mágoas e raiva de lado em benefício das crianças e faça o que for necessário para fazer com que se sintam amadas, aceitas, valorizadas e que pertencem tanto na sua vida como na de seu parceiro.

Seja o mais coerente possível.

Sempre se esforce para ser um bom exemplo de responsabilidade e respeito.

Distancie seus sentimentos da forma como se comporta. Em outras palavras, não jogue sua dor nas crianças.

Mantenha-se alerta para pequenas pistas de que seu filho está sofrendo ou tendo problemas de desempenho.

Converse regularmente com seu filho. Melhore a comunicação com seu parceiro e separe as brigas de vocês das discussões sobre o que é melhor para seu filho.

Como ser um bom pai após um divórcio

Caso já esteja separado ou divorciado, você provavelmente possui algum acordo sobre seus filhos. Sempre respeite esse acordo.

Salvo se você vier a ter problemas sérios, como abusos físicos, psicológicos, alcoolismo ou vício em drogas, dividir a participação na vida dos seus filhos com ambos os pais é a melhor solução após um divórcio.

Ainda que agora vocês tenham vidas separadas, estimule seu filho a passar tempo e manter uma relação próxima com seu ex-parceiro. Da mesma forma, ainda que as responsabilidades e tomadas de decisões compartilhadas sejam difíceis e cansativas, as crianças que desfrutam da companhia e orientação de ambos os pais têm mais chances de felicidade e sucesso.

Garanta que seus acordos sejam cumpridos e que fatos inesperados sejam minimizados. Isto vai ajudar a fazer seu filho se sentir querido e seguro.

Uma cooperação pacífica com seu ex-parceiro vai ensinar ao seu filho o valor dos acordos e da solução de problemas em conjunto.

É importante separar os sentimentos de mágoa e raiva que você tenha do comportamento que você assume na frente do seu filho. Não envolva a criança em qualquer desentendimento ou conflito.

Mantenha-se focado em ter uma comunicação boa e constante com seu ex-parceiro. Tomem as decisões que afetam seus filhos em conjunto. Tentem ser uma equipe e apoiar uns aos outros quando for necessário para o bem-estar das crianças.

Resolva os problemas com rapidez. Busque a harmonia. Não deixe que pequenos atritos atrapalhem ou se transformem em problemas maiores. Sempre faça o que é melhor para seus filhos.

Dicas parentais por faixa etária

O estilo de educação dada pelos pais e as decisões a serem tomadas variam de acordo com o desenvolvimento da criança. As necessidades e expectativas de um bebê são diferentes daquelas que uma criança em idade escolar ou um adolescente têm. Conforme intensifica sua interação com o mundo, a maturidade da criança também aumenta. Você deve sempre avaliar e equilibrar seu nível de discernimento e a habilidade de administrar suas responsabilidades com a autonomia e liberdade que você lhes permitir ter.

Dicas parentais para bebês

Bebês têm necessidades bem básicas e ainda não desenvolveram a capacidade de distinguir seus próprios ambientes. Eles precisam de acolhimento, descanso, segurança, alimentação e tempo para criar seus primeiros laços com seu principal cuidador. As principais tarefas que compõem seu desenvolvimento são aprender a comer, dormir e se acostumar com seu próprio corpo e a interação dos outros. Eles estão começando a desenvolver a confiança. Portanto, como pai, você deve…

  • Criar uma rotina de alimentação, sono e carinho.
  • Aprender como deixar seu bebê confortável para ter melhores resultados.
  • Cuidar de si próprio, dormir bem e descansar quando puder.
  • Relaxar e aproveitar o seu bebê sem se concentrar nos pequenos problemas.

Em breve, seu bebê vai crescer e se tornar uma criança de colo, capaz de começar a se mexer mais, explorar e interagir.

Dicas parentais para crianças de colo

Por volta de um a dois anos, as crianças começam a aprender a andar e falar. Conhecendo mais sobre o ambiente e pessoas ao seu redor, as crianças se tornam mais autônomas e, cuidadosamente, testam esta independência. No entanto, ainda são egocêntricos e, por vezes, teimosos. Nesta idade, sua capacidade física e de linguagem se desenvolve rapidamente. Eles aprendem a experimentar as regras no seu próprio mundo.

  • Apoie seu filho em suas tentativas de ser mais independente.
  • Permite que desenvolva uma capacidade de domínio.
  • Estabeleça limites para garantir a segurança e bem-estar.
  • Mostre que você tolera sua raiva e outras emoções.
  • Experimente ver as coisas sob a perspectiva da criança.
  • Mantenha seu filho a salvo durante suas descobertas do mundo.
  • Incentive sua curiosidade.

Dicas parentais para crianças em fase pré-escolar

Entre os três e cinco anos, sua criança está na fase pré-escolar e se torna, aos poucos, menos egocêntrica, mais consciente de seu lugar no mundo e começa a controlar suas emoções e atitudes. Suas habilidades sociais se desenvolvem rapidamente, o que define a base para quando começarem a se aventurar pelo mundo indo para a escola. Eles são aprendizes experimentais e testam os limites de seus corpos e mentes.

Para deixar seu filho em fase pré-escolar no caminho certo, você deve…

  • Ensinar demonstrando empatia e conversar sobre seus sentimentos.
  • Continuar criando uma rotina em sua vida, o que é reconfortante à medida em que ele vai descobrindo novas coisas que podem lhe assustar
  • Assegurar que durma e descanse o suficiente.
  • Monitorar sua alimentação, mas ainda permitindo que decida o tamanho de suas porções. Ofereça refeições menores e regulares ou lanches para evitar uma alimentação desenfreada.
  • Ouça seu filho com atenção. Peça a ele para descrever suas experiências e sentimentos.
  • Imponha limites, mas compreenda quando ficarem desapontados. Ensine a autodisciplina ao invés de forçar uma punição.
  • Interaja regularmente com seu filho e crie um tempo para socialização.

Dicas parentais para crianças em idade escolar

Durante os primeiros anos escolares do seu filho e a pré-adolescência, eles ficam ainda menos egocêntricos, mais sintonizados uns com os outros e, geralmente, mais cuidadosos e cooperativos. Durante sua fase de formação, a criança precisa, mais do que nunca, de orientação para desenvolver uma inteligência emocional e habilidades para se autorregular.

Aproveite esses anos, normalmente razoáveis, para fortalecer sua relação e deixar a criança desenvolver sua identidade própria.

  • Equilibre a autossuficiência, interação com os colegas e o tempo livre do seu filho.
  • Planeje passeios em família com regularidade ou eventos para cultivar um vínculo familiar forte.
  • Avalie a maturidade do seu filho e sua necessidade por independência. Pondere as regras e acordos.
  • Escute seu filho com atenção e o estimule a compartilhar seus problemas.
  • Permita que eles investiguem suas soluções e ensine-os a negociar e honrar seus compromissos.
  • Reconheça e elogie suas habilidades e conquistas.
  • Limite o uso de aparelhos eletrônicos a momentos específicos do dia.
  • Conheça os amigos dos seus filhos, suas relações e valores.
  • Não se envolva em brigas bobas e aja com firmeza, ao invés de buscar a punição.

Dicas parentais para adolescentes

Nos primeiros anos da adolescência, entre 13 e 15 anos, espere variações de comportamento e humor conforme vão se acostumando com sua independência. Neste momento, seus filhos já devem ter suas personalidades desenvolvidas, mas ainda podem estar buscando sua própria identidade.

O mundo exterior exerce uma influência crescente em seu adolescente conforme ele vai descobrindo suas amizades, busca seus modelos e amplia sua exposição nas mídias sociais e na escola, esportes e outras atividades.

Neste momento, o foco principal dos pais deve ser demonstrar respeito e valores positivos, controlar suas próprias emoções e equilibrar a liberdade com a responsabilidade e a comunicação frequente.

  • Continue mantendo conversas frequentes para ver como está todos os dias.
  • Permita a liberdade adequada, mas saiba o que seu adolescente está fazendo, onde e com quem está.
  • Faça o maior número de refeições juntos possível, especialmente o jantar.
  • Demonstre e encoraje que ele cuide de si mesmo, inclusive de sua alimentação, sono e diversão.
  • Apoie seu filho adolescente o máximo possível para que possa brilhar e conquistar seus sonhos.
  • Aja mais como um pai do que como amigo; oriente, seja firme e ofereça apoio.
  • Mantenha os computadores em um ambiente comum familiar.
  • Continue a ter saídas e reuniões familiares.

Conclusão

Lembre-se que o envolvimento com seu filho, qualquer que seja sua idade, é um aspecto fundamental para seu desenvolvimento. Como um bebê ou criança pequena, isto significa o contato físico e o cuidado. Quando seu filho fica mais velho, o diálogo sobre suas experiências e emoções passa a ser uma forma de orientá-los com confiança.

Ouvir com atenção, conversar sobre seus sentimentos, estabelecer limites e estruturas, além de equilibrar a independência com a responsabilidade também são aspectos muito importantes. Perceba as mudanças no comportamento dos seus filhos. Monitore suas atividades online e no mundo real.

Defina os limites seguros das mídias sociais. Quando seu filho estiver na idade para ter seu próprio smartphone, instale um aplicativo como o “Find My Kids” para que você sempre saiba onde ele está quando estiver preocupado.

Isto vai te trazer uma paz valiosa possibilitando permitir mais liberdade para seu filho explorar sua independência, ao mesmo tempo em que permanece seguro e protegido.

brazilian banner fmk

email

Assine agora!

Enviamos artigos que auxiliam os pais.Só vantagens!
Leia mais

Faça o download gratuito para iOS e Android
iphone-X
Aplicativo móvel «Find My Kids»
Veja a movimentação do seu filho no mapa, ouça o que está acontecendo ao redor do telefone quando você não estiver por perto. Envie um sinal alto quando a criança não ouvir sua ligação.
Faça o download gratuito para iOS e Android
Baixar aplicativo
iphone-X
Assine o blog subscription