Fases de transição e a adolescência: como superá-las - As principais dicas para os pais | FindMyKids Blog
Fechar
Entrevista com um psicólgo

Uma idade desafiadora: como ajudar as crianças e seus pais a enfrentar a adolescência?

1
tw vk fb copy
1
fb vk tw
Link copiado

Está sempre na defensiva, sente-se facilmente ofendido, frágil, impetuoso; todos esses adjetivos descrevem a maioria dos adolescentes que estão passando por essa complicada fase. Eles estão caminhando para se tornarem adultos e têm dificuldades em compreender e aceitar o que está acontecendo com eles.

Este artigo abordará o tema da adolescência. Nele, você aprenderá o conceito de adolescência, quais perigos podem surgir para as crianças e seus pais e o que estes podem fazer para ajudar seus filhos a enfrentar esse momento conturbado.

Conteúdos:

O que precisamos saber sobre essa idade?

Já há algum tempo, psicólogos vêm identificando um padrão de «antecipação» da adolescência. As crianças agora entram na adolescência bem mais jovens do que seus pais entraram, por volta dos 10 ou 11 anos de idade. Também é possível notar um «alongamento» desta fase que agora atinge os 18 ou 19 anos de idade, que é a idade em que a criança alcança a idade adulta e começa a ser tornar mais independente dos pais não apenas psicológica, mas também financeiramente.

De acordo com Steve Mueller, fundador da comunidade motivacional «Planeta do Sucesso», conforme crescemos, passamos de um estágio a outro. Os primeiros estágios da vida são nascimento, infância e adolescência, este último que se aproxima da idade adulta. O início da adolescência é um momento decisivo na vida do jovem, pois a puberdade causa diversas alterações hormonais no corpo. É uma época marcada por fortes emoções e uma maior disposição para correr riscos.

A fase da adolescência pode ser dividida em dois estágios principais: a pré-adolescência (10 a 12 anos) e a adolescência (a partir dos 13 anos e até a idade adulta).

  1. Na pré-adolescência, a criança já começa a se sentir adulta, passa a ter uma maior necessidade de interação social com os colegas e o corpo já começa a se preparar para as próximas mudanças.
  2. Aos 13 e 14 anos, o pico hormonal no adolescente atinge seu máximo. A criança fica irritada e facilmente ofendida e começa a ter frequentes mudanças de humor.
  3. A adolescência se encerra quando a criança entra na idade adulta. Meninos e meninas passam a tomar decisões mais maduras e ponderadas, seu estado emocional em geral se estabiliza. É nesse momento também que eles começam a se distanciar dos pais e da família e caminham para ter uma vida independente.

Não é possível afirmar com precisão quanto tempo durará a adolescência em seu filho. Isso se deve ao fato de que, embora se tornem fisicamente maduros, os jovens adultos podem permanecer psicologicamente despreparados para organizar sua vida de forma autônoma.

Por que esse estágio costuma ser chamado de «estágio de transição»? Durante esta fase, há a mudança no estágio de desenvolvimento de uma criança da infância para a idade adulta. E, neste momento, a prioridade absoluta para um adolescente é compreender a si mesmo e se separar dos pais.

blockquote

O gatilho da puberdade está localizado em uma pequena parte do cérebro chamada hipotálamo, uma glândula que ordena a hipófise a secretar dois hormônios. Esses hormônios, por sua vez, sinalizam os órgãos sexuais femininos e masculinos para iniciar a liberação dos hormônios sexuais que dão os primeiros sinais de puberdade no corpo,

– Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano (NICHD).

A adolescência é uma fase experimental, não apenas para as crianças, mas também para os pais.

Duas principais tendências podem ser comumente identificadas:

  1. Uma falta de vontade de crescer, pois «é assustador experimentar o que não lhe é familiar», segundo o psicólogo Carl Pickhardt. A constante associação de que mais liberdade é também mais responsabilidade e o fato do jovem não se sentir preparado para ser totalmente independente financeiramente tornam-se aparentes quando o adolescente não está disposto a crescer.
  2. O segundo é a vontade de se encontrar na vida. Os adolescentes geralmente se sentem pressionados a estabelecer metas e decidir os próximos passos em sua educação ou carreira, além de enfrentar um mercado de trabalho em constante mudança, grandes expectativas acadêmicas e uma enorme pressão advinda das redes sociais, conforme aponta Shannon Traurig do Centro de Comunicação para Pais e Adolescentes. No entanto, muitos jovens sentem a necessidade de encontrar seu objetivo na vida o mais rápido possível. Eles sabem onde querem chegar e seu cérebro é tomado por fortes ambições ao longo da vida, desde cedo.

Por que isso é complicado para as crianças?

  • Elas estão passando por mudanças tanto por dentro quanto por fora. E, às vezes, pode ser difícil aceitar e controlar essas mudanças.
  • Elas se esforçam para serem socialmente aceitas e se sentirem importantes. Porém, podem se ver diante de zombarias e agressões por parte dos colegas ou até se tornarem vítimas de bullying.
  • Elas esperam que os pais entendam e aceitem as especificidades dessa fase. No entanto, em vez disso, muitas vezes se vêem diante de uma atitude controladora, cheia de críticas e restrições.
  • Buscam mais autonomia e independência, mas ainda não podem tê-las, pois não possuem total responsabilidade por suas ações.

Para atender as necessidades de autonomia e independência do seu filho sem deixar de se preocupar com sua segurança, faça o download do aplicativo Find my Kids na AppStore ou no GooglePlay. Você sempre saberá onde seu filho está sem precisar lhe fazer perguntas, ligações ou enviar mensagens chatas.

Por que é complicado para os pais?

  • Eles não sabem como agir com as crianças conforme elas crescem.
  • Eles costumavam ser a única autoridade para seus filhos.
  • Eles não estão prontos para deixar seu filho ou filha ir viver sua própria vida.

Características específicas da puberdade em meninos e meninas

Em meninas

O que acontece com as meninas durante a adolescência:

  • na tentativa de encontrar sua personalidade e estilo, experimentam com sua aparência e roupas, buscando atrair atenção;
  • interessam-se mais por meninos e experimentam a sensação do primeiro amor;
  • as mudanças de humor se tornam mais frequentes: uma felicidade incrível pode rapidamente se transformar em uma tristeza profunda;
  • uma ansiedade extrema se torna mais aparente, podendo se manifestar no desempenho acadêmico na escola, ao responder uma pergunta na frente da classe ou no relacionamento com colegas;
  • esforçam-se para resolver seus problemas por conta própria, sem a ajuda de adultos.

Em meninos

Meninos, durante a adolescência:

  • tornam-se mais agressivos, rudes e zangados em decorrência de um aumento da produção de testosterona;
  • tornam-se autoconsciente;
  • tentam chamar a atenção dos outros com atitudes corajosas e demonstram uma tendência a se exibir;
  • muitas vezes demonstram um comportamento de protesto matando aulas e fugindo de casa;
  • experimentam bebidas alcóolicas e cigarros;
  • esforçam-se para pertencer a um «grupo» e se tornar parte dele.

Características gerais da puberdade

A puberdade nos adolescentes está associada ao aumento da produção de hormônios sexuais, tanto em meninos quanto em meninas. Esta mudança hormonal levará a mudanças no corpo, na personalidade e no comportamento da criança.

Aqui estão algumas características comuns do período da puberdade:

  • primeira menstruação nas meninas e ejaculações noturnas nos meninos;
  • mudanças na altura e peso corporal;
  • grande atividade das glândulas sebáceas, que muitas vezes leva ao surgimento de acne;
  • desenvolvimento da glândula mamária e o arredondamento dos quadris nas meninas;
  • aparição de pelos nas axilas e nas partes íntimas do corpo;
  • crescimento de músculos nos meninos;
  • aumento do funcionamento das glândulas sudoríparas e, como consequência, o aparecimento de um cheiro forte e desagradável de suor.

«Uma explosão de hormônios» leva às seguintes características típicas da fase da adolescência:

  • aumento de interesse pelo sexo oposto, inclusive do interesse sexual;
  • oscilações de humor;
  • tornam-se mais conscientes sobre sua aparência;
  • comportamentos agressivos, aumento da irritabilidade, surgimento de rompantes de raiva.

Durante esse período, é importante que os pais façam o seguinte:

  • conversem sobre todos os aspectos da puberdade sem inibições. É melhor os pais abordarem esses tópicos «desconfortáveis», em vez de a criança descobrir sobre eles na Internet;
  • sob nenhuma circunstância, a criança deve ser envergonhada por seu maior interesse em relação a assuntos sexuais. Muitos pais ficam chocados ao encontrar o filho se masturbando ou a filha assistindo filmes pornô. Não há nada de horrível nisso. Seu filho está crescendo. Se as crianças estavam anteriormente interessadas em brinquedos, bonecos e Lego, hoje estão interessadas nas relações entre homens e mulheres;
  • não ria das preocupações do seu filho relacionadas à sua aparência física. É sempre melhor lembrar ao seu filho que todos os patinhos feios sempre se transformam em belos cisnes, basta esperar;
  • se a criança está muito preocupada com seu aumento de peso ou acne, vale a pena consultar um médico endocrinologista.

Quais perigos aguardam as crianças e seus pais?

Vamos agora falar sobre os fatores que tornam a adolescência de uma criança mais difícil e que os pais devem prestar especial atenção:

1. Bullying na escola

Uma criança tímida pode se tornar vítima de bullying, já uma criança mais agressiva pode estar fazendo bullying com outros colegas. E quase todos os adolescentes podem adotar o papel de meros espectadores.

2. Os perigos das redes sociais

As redes sociais são algo que as crianças não conseguem mais imaginar sua vida sem. No entanto, elas também representam uma ameaça.

Uma criança pode ser alvo de um cyberbullying e receber convites para entrar em «grupos suicidas» ou jogos perigosos. Recentemente, houve uma porção de jogos que estimulavam o suicídio circulando na web, por exemplo, o jogo «Corra ou morra». Este jogo consiste em fazer um adolescente correr na frente de um carro, a uma distância mínima do para-choque, enquanto outro adolescente filmava. Depois, o vídeo é enviado ao grupo e o participante tem sua «conquista» classificada.

3. Envolver-se com as pessoas erradas

Os adolescentes querem pertencer ou mesmo se tornar líder de um grupo. Portanto, a chance da criança se envolver com um grupo errado é bem alta. No caso, falamos de grupos em que os jovens cometem pequenos atos ilícitos, consomem álcool ou usam drogas.

Certifique-se de que seu filho não se envolveu com o grupo errado e que não está causando mal à sua saúde. Faça o download do aplicativo Find my Kids na AppStore ou GooglePlay.

4. Iniciação sexual precoce

Um crescente interesse pelo sexo oposto, associado à curiosidade e «oscilações» hormonais, geralmente desencadeia um início precoce de relações sexuais entre adolescentes.

5. Trocar o mundo real pelo mundo virtual

Quando passa por mal-entendidos com os pais e sente falta de amigos, a criança se torna cada vez mais antissocial. Mergulhar em uma realidade virtual torna-se uma forma de se proteger do mundo real. Através dos jogos de computador, a criança alcança uma «auto-realização» com suas ações «heróicas», «dinheiro» e «sucesso» nesse meio virtual.

6. Pensamentos suicidas

O surgimento de pensamentos suicidas em adolescentes está relacionado aos conflitos na família, bullying na escola, aparecimento do primeiro amor e falta de relações de amizade com os colegas de classe.

7. Queda no rendimento acadêmico

Durante esta fase de oscilação hormonal e mudanças no corpo, os adolescentes geralmente apresentam uma queda no rendimento acadêmico e uma falta de interesse pelos estudos. Em casos mais graves, a criança pode desenvolver a síndrome astênica, que se manifesta com um aumento da fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça frequentes e nervosismo.

Como ajudar a criança a passar pela adolescência?

Erros cometidos pelos pais na criação dos filhos

Como já falado, os pais também enfrentam dificuldades durante esta fase da vida dos filhos. Portanto, muitos de nós, às vezes inconscientemente, quebramos os laços de amor e confiança com os filhos, através de palavras e ações.

O que os pais de adolescentes não devem fazer:

  1. Criticar os amigos deles e proibir a amizade («Não gosto do seu amigo Tomás, ele não se veste bem e suas notas na escola são muito ruins. Não quero que você seja amigo dele»).
  2. Ridicularizar suas roupas e aparência («Por que você passou tanta maquiagem para ir à escola? Parece um palhaço»).
  3. Adotar uma atitude excessivamente controladora («Quem ligou para você agora? Mostra o seu telefone»).
  4. Tratá-los como uma criança pequena («Ainda é muito cedo para você saber. Vamos falar sobre isso quando crescer»).
  5. Ignorar as preocupações do adolescente («Por que você está chorando de novo no seu quarto? Vai estudar»).
  6. Comparar seu filho com amigos, colegas de classe e filhos dos seus amigos («Mariana da sua série tira nota alta o tempo todo e ajuda a mãe na casa enquanto você só quer saber dos meninos»).

Como os pais devem agir neste momento difícil?

A psicologia de uma criança é de tal forma que elas seriam capazes de defender suas opiniões em qualquer ocasião, estejam elas certas ou não. Portanto, tente abordar seu filho em um tom calmo, sem gritar ou acusar. Ouça o ponto de vista dele e encontrem juntos uma solução apropriada para o conflito.

De acordo com Kelly Sanders, terapeuta familiar e de casais, «ao se comportar como um pai, você está criando uma base sólida para uma amizade saudável com seu futuro filho adulto». No entanto, desenvolver uma amizade com seu filho se baseia essencialmente em como você se relaciona, ama, orienta, guia e se diverte com ele. Portanto, esse relacionamento amigável é muito importante no curto e no longo prazo.

Converse frequentemente com seu filho sobre as mudanças que estão acontecendo. A maioria dos pais não faz isso, deixando que seu filho enfrente suas preocupações por conta própria. Fale sobre o primeiro amor, o início da vida sexual, consumo de álcool e drogas. Explique-lhes que nem tudo o que seus colegas experimentam ou recomendam é seguro e inofensivo.

  • Apoie seu filho em todos os seus interesses e novos projetos (exceto aqueles que podem prejudicá-lo). Ainda que você considere esses interesses bobos e pouco sérios. Não é necessário que eles saibam sua opinião, o mais importante é que você deve respeitar a deles.
  • Trate o adolescente como adulto, mesmo que você ainda não o considere um adulto. Conceda-lhe liberdade na tomada de decisões, mas lembre-o de que esse direito vem com responsabilidades por suas atitudes.
  • Torne-se amigo do seu filho, seu amigo mais velho e mais sábio.
  • Seu filho está crescendo e se tornando cada vez mais distante de você. Não tente interromper esse processo com proibições e uma atitude controladora em relação a sua vida.
  • Preste atenção ao que seu filho está fazendo nas redes sociais. Não é necessário ler as conversas dele, já que esse é um assunto particular. No entanto, não há nada de mal em saber quais grupos virtuais ele faz parte e você certamente tem direito a isso.
  • Discussões frequentes com a criança costumam ser o resultado de uma atitude excessivamente controladora e surgem quando os pais começam a se envolver demais na vida de seu filho.

Para deixar de controlar excessivamente o seu filho e não entrar mais em conflito, conceda-lhe total liberdade de ir e vir. Para não se preocupar mais com seu filho e sempre saber onde ele está quando não atender o telefone, faça o download do aplicativo Find my Kids na AppStore ou no GooglePlay.

  • Se todas as conversas com seu filho chegarem ao mesmo ponto: discutindo suas notas na escola ou criticando a bagunça no quarto e a louça suja, você corre o risco de perder a confiança mútua que tem com seu filho.
  • Façam caminhadas e passeios juntos, além de ter conversas profundas, o que irá ajudar a melhorar o relacionamento entre vocês muito mais rápido do que sermões.
  • Sim, você pode não gostar dos amigos de seu filho. No entanto, criticá-los ou proibir que seu filho os veja não é o melhor caminho. O adolescente considerará isso como mais um ataque à sua independência e autossuficiência na escolha de seus amigos.

As psicólogas Catherine Hartley e Leah Somerville abordaram o assunto da tomada de decisão pelos adolescentes. Elas concluíram que esse processo é totalmente diferente do que ocorre com adultos ou crianças pequenas. Isto se deve a alterações de maturidade normais na função cerebral, o que pode ser explicado pelo fato de que vários aspectos da tomada de decisão, como a assimilação de feedback positivo e negativo, ainda não estão sintonizados com os níveis normais de adultos. Por outro lado, outros aspectos são amplificados de maneira única na adolescência, como aprender com a experiência direta e as ações dos outros.

  • Se o seu filho tem muita dificuldade ao passar por essa fase, fica cada vez mais distante de você, deprimido ou chora com frequência, você definitivamente deve procurar a ajuda de um psicólogo! Estes podem ser os sinais de bullying na escola, conflitos com colegas, surgimento de pensamentos depressivos e suicidas.

Se seu filho se envolver com um grupo errado

  • Não entre em pânico. Pergunte a si mesmo: esse grupo de amigos é ruim para mim ou para o meu filho? Se a criança receber respeito, apreço e apoio dentro do grupo, ela tende a continuar fazendo parte deste grupo.
  • Conheça os amigos de seu filho, convide-os para sua casa ou para um lanche. É possível que sua opinião sobre eles mude.
  • Lembre-se: restrições e chantagens não ajudarão! A criança ainda continuará vendo seu grupo de amigos em segredo.
  • Se seus piores temores se tornaram verdadeiros e a criança realmente se envolveu com um grupo errado, seu foco principal deve ser restabelecer entre vocês um relacionamento com base na confiança mútua e tentar entender as razão pela qual esse grupo de amigos parece tão atraente para ele.
  • Tente se interessar por outras coisas que seu filho aprecia, como esportes, música ou programação.
  • Se você descobrir que seu filho está fazendo parte de uma seita religiosa ou de uma quadrilha criminosa, não perca mais tempo! Mude de escola, de residência ou cidade para que seu filho não tenha a tentação de voltar aos velhos amigos.

Dicas para os pais de um psicólogo especialista

Muitos pais rompem os laços com os filhos devido à falta de conhecimento sobre sua estrutura psicológica e tipos de personalidade. No entanto, o mais importante a ser admitido é que a criança cresceu: agora ela tem sua própria identidade, seus princípios e limites e, portanto, é importante encontrar a abordagem correta de maneira amigável. Para tanto, você deve se afastar da abordagem paternal de «o que eu faço é o certo» e tornar-se amigo do seu filho. Um amigo significa alguém que dá apoio, tem a capacidade de ouvir e se compromete a se comunicar sempre, chegando a um consenso com o outro e ficando ansioso por esses momentos juntos.

Um outro aspecto importante é que não é sempre necessário pedir algo em troca do seu filho. Quando eles só quiserem ser deixados em paz, não interfira, isso passará. Em resumo, é importante lembrar desta frase: «isso também passará», é como sentir as ondas do mar indo e vindo. Os filhos sempre vão embora viver a vida deles e é impossível controlá-los, eles são imparáveis.

Sinta esse movimento de ondas e você se sentirá aliviado imediatamente. A próxima onda lhe trará felicidade, compreensão mútua, gratidão, paciência, respeito e um vínculo maior. Isso não será perceptível, mas será absolutamente fundamental.

Queridos pais, lembrem-se de que a adolescência de seu filho é um período temporário e que não durará para sempre; isso terminará em algum momento. Faça o possível para manter um bom relacionamento baseado na confiança, não afaste seu filho criando restrições e reprovações. Um adolescente realmente precisa do seu amor e apoio, por mais que às vezes tente rejeitá-lo.

brazilian banner fmk

1
email

Assine agora!

Enviamos artigos que auxiliam os pais.Só vantagens!
Комментарии для сайта Cackle
Leia mais

Faça o download gratuito para iOS e Android
iphone-X
Aplicativo móvel «Find My Kids»
Veja a movimentação do seu filho no mapa, ouça o que está acontecendo ao redor do telefone quando você não estiver por perto. Envie um sinal alto quando a criança não ouvir sua ligação.
Faça o download gratuito para iOS e Android
Baixar aplicativo
iphone-X
Assine o blog subscription