Pais Helicóptero – O que você precisa saber | FindMyKids Blog
Fechar

Pais Helicóptero – O que você precisa saber

tw vk fb copy
fb vk tw
Link copiado

A parentalidade helicóptero é um estilo de criação no qual os pais parecem sempre pairar por perto dos filhos; sempre observando, tentando orientá-los, resolver seus problemas e decidir tudo por eles. A iniciativa e a independência da criança ficam restritas.

Filhos de pais helicóptero têm uma maior probabilidade de se tornarem ansiosos e depressivos. Suas habilidades de tomada de decisão tendem a ser mais pobres que de seus semelhantes. Eles não desenvolvem um senso de responsabilidade. Muitos se ressentem das restrições, que consideram desnecessárias, embaraçosas e o relacionamento com os pais fica abalado.

Veja como saber se você é pai de um helicóptero e o que fazer para evitar uma limitação excessiva da independência de seu filho sem comprometer sua segurança e sucesso.

Conteúdo

O que significa e de onde vem a expressão?

O conceito de pais helicópteros foi usada, pela primeira vez, em um livro publicado em 1990 sobre como usar o amor e a lógica para preparar as crianças para ter uma independência e sucesso saudáveis. Dez anos depois, a mídia adotou como o termo da moda. Os psicólogos especializados em questões de família alertam que um pai helicóptero é aquele que monitora de perto as experiências vividas por seus filhos e tem um impulso incontrolável de se envolver.

No entanto, esse envolvimento se baseia mais no medo e ansiedade do que em um desejo de orientar e interagir. O helicóptero é caracterizado por um pai hiper-focado em proteger, controlar e orientar seu filho, às vezes para fazer com que ele se sinta melhor consigo mesmo.

Dar uma ênfase excessiva aos sucessos e fracassos das crianças é outra marca registrada desses pais, que geram uma cobrança pelo desempenho da criança para seguir aquilo que os pais entendem ser sucesso. Neste processo, eles restringem a autonomia de seus filhos, o que tem inúmeras consequências, às quais abordaremos mais a frente no artigo.

Os pais helicóptero vão muito além das medidas associadas a uma paternidade responsável. Um exemplo é a necessidade de saber de tudo que ocorre na vida da criança e impedir que ela tenha iniciativa ou tome uma decisão.

Em muitos casos, as crianças não podem ir à escola, brincar ou fazer qualquer coisa sozinhas. Ainda que os tempos tenham mudado, os pais estão mais estressados e parece haver mais perigos em todos os lugares, fazendo com que todos reajam de maneira diferente a este novo ambiente competitivo e em ritmo acelerado.

Muitos pais se tornam superprotetores, tentando orientar demais os filhos para ter um desempenho melhor e lidar com esse ambiente maluco. Suas intenções podem até ser boas, mas eles não entendem que, a longo prazo, esta abordagem não é a melhor para seus filhos, para prepará-los para a vida adulta, quando chegar a hora.

Quem são os pais helicópteros clássicos?

Então, quem é o pai helicóptero? Veja se você se reconhecer em algum dos seguintes sinais.

A linha entre um pai helicóptero e um pai que oferece um apoio positivo pode ser bem tênue. Às vezes, os pais nem percebem que cruzaram esta linha e que agora estão prendendo seus filhos, no lugar de prepará-los para a vida.

Se seu filho de repente começa a evitá-lo em público, tentando desesperadamente fugir da sua vista em casa ou para de fazer as coisas que costumava gostar porque você está sempre por perto, é hora de fazer um balanço do seu próprio comportamento. Ainda que suas intenções possam ser boas, é bem provável que você esteja afetando o bem estar e o potencial do seu filho de forma negativa.

Você provavelmente está se perguntando quais são os sinais que apontam para um pai helicóptero? Aqui estão oito sinais de que você pode precisar dar um passo para atrás e oferecer mais autonomia ao seu filho.

  1. Você acha que o mundo é um lugar perigoso e não mede esforços para garantir que seu filho esteja seguro.
    • Você não permite que eles brinquem com qualquer coisa que possa ser minimamente perigosa.
    • Você é especialmente cauteloso durante atividades ao ar livre, inclusive ir a pé para a casa de um amigo ou andar de bicicleta.
    • Você passa muito tempo monitorando seu filho, mesmo dentro de casa.
    • Você tem uma crise de ansiedade só de pensar em seu filho indo em um passeio escolar, aula de campo, acampamento de férias ou mesmo dormir na casa de um amigo.
  2. Você está constantemente cansado de ficar acordado até tarde para terminar e corrigir o dever de casa de seu filho, com receio pela segurança deles, se preocupando com os momentos em que você não está por perto e ficando nervoso a respeito de seus hobbies e de seus amigos.
  3. Você não os estimula nem permite que ajudem em casa porque é perigoso.
  4. Você tem uma webcam escondida para monitorar o que seus filhos estão fazendo quando você está no trabalho.
  5. Você se envolve nos problemas de seu filho na escola, tomando seu lado sem questionar e procura imediatamente os pais da outra criança, muitas vezes, não sendo razoável.
  6. Quando você tem uma reunião com a professora do seu filho com ele presente, você costuma responder por ele, ainda que a professora esteja se dirigindo diretamente a ele.
  7. Quando seu filho não é escolhido para um grupo ou aceito em uma universidade, você liga para os professores, diretores ou responsáveis pelo departamento para exigir uma outra decisão.
  8. Você monitora as mídias sociais e o acesso à internet do seu filho, além dos seus movimentos, a todo momento sem qualquer motivo razoável.

Como um pai protetor, você provavelmente não percebe que suas boas intenções e decisões, apesar de bem intencionadas, provavelmente têm o efeito oposto. No lugar de criar confiança para ter iniciativa e tomar decisões por conta própria, as crianças acabam sendo limitadas e se tornam excessivamente dependentes do seu apoio como pai.

Aprender a deixar a criança um pouco livre é a melhor maneira de fortalecer a relação de vocês, ao mesmo tempo em que isso ajuda seu filho a se tornar mais resiliente, safo e responsável.

Agora que você sabe o que é parentalidade helicóptero e como é um pai helicóptero, voltamos nossa atenção para as necessidades básicas das crianças que você, como mãe, pai ou responsável deve fornecer.

Reconhecendo as necessidades básicas do seu filho

As crianças têm necessidades básicas que vão mudando um pouco à medida que crescem, mas algumas das necessidades naturais são sempre fundamentais.

  1. A primeira necessidade de uma criança deve ser a autonomia para desenvolver suas próprias habilidades e confiança. À medida que a criança amadurece, a necessidade de independência se torna mais proeminente de modo a prepará-la para sua vida adulta. Isso permite que a criança tenha autonomia progressivamente, na medida em que ela prova que pode lidar com segurança e responsabilidade tendo uma forma de liberdade assistida como são rodinhas de uma bicicleta.
  2. A segunda necessidade básica está relacionada e envolve uma crescente confiança em suas habilidades e no orgulho de suas realizações. Sob a perspectiva dos pais, é essencial permitir que uma criança desenvolva esses sentimentos no seu próprio ritmo.Isso significa que um pai deve permanecer sendo realista, porém solidário. Facilite e permita o sucesso, em vez de esperar e exigi-lo. Permita que seu filho faça suas próprias escolhas sobre quais dos seus interesses seguir. Não seja arrogante forçando-os a participar de atividades que fazem você se sentir melhor e popular.
  3. A necessidade de confiança é sustentada pela necessidade básica de se sentir amado, bem cuidado e aceito. Ao invés de sempre questionar, mandar ou rejeitar as escolhas e preferências de uma criança, reconheça seus pontos fortes e necessidade de se sentirem seguros.

Forneça orientação e um ambiente onde possam prosperar dentro de um espaço controlado. Isso significa que é melhor determinar limites e apoiar seu filho a adquirir as habilidades necessárias para conquistar seus objetivos e desejos.

Como você pode notar a partir dessas três necessidades básicas, permitir que seu filho tenha a liberdade de tomar suas próprias decisões, enquanto você fica em segundo plano para apoiar e ajudar em seu sucesso, demonstrando que você os aprova e confia neles, é um ato de equilíbrio.

À medida que você monitora e avalia sua necessidade de independência e sua capacidade de gerenciar tal responsabilidade pelo bem de toda a família, sua autonomia, regras e limites são ajustados conforme o necessário.

Efeitos no bem estar do seu filho

Um estudo de 2010 realizado por um psicólogo pesquisador da Keene State College, em New Hampshire, descobriu que cerca de 10% dos estudantes universitários tinham uma mãe ou pai helicóptero. Essas estatísticas de pais helicópteros são preocupantes ao se considerar a potencial influência negativa na criança.

A pesquisa também mostrou que um pai muito envolvido ou excessivamente rigoroso, vigilante e que dá muitas ordens mina as necessidades básicas de uma criança, no lugar de lhe prover e proteger tais qualidades. Como resultado, crianças com pais helicóptero têm mais chances de apresentarem depressão e ansiedade. Eles são, geralmente, mais insatisfeitos com sua vida.

Também chamada de geração de floco de neve, ou flocos de neve, alguns filhos de «pais helicópteros» podem criar uma sensação exagerada de serem especiais e únicas, sentindo-se autorizadas, tornando-se sensíveis e pessoas que se ofendem com facilidade e que apresentam dificuldade em lidar com críticas.

Eles não têm a confiança necessária para experimentar coisas novas e ir em busca de seus interesses por conta própria. Crianças com superprotegidas também acham mais difícil tomar decisões e resolver problemas e tendem a se distanciar dos amigos e das atividades na escola.

As relações entre os pais helicópteros e seu «floco de neve especial» são muitas vezes tensas. Como resultado, a unidade familiar fica sob pressão. O estresse extra pode fazer com que os pais também tenham um comportamento ruim. Os filhos são mais frustrados, propensos a ansiedade, depressão e a explosões de raiva e uso de álcool. Responsáveis passando por dificuldades despejam suas inseguranças e irritações em seus filhos.

As crianças geralmente apresentam problemas comportamentais semelhantes aos demonstrados pelos pais. Eles desejam a independência e, quando chegam na adolescência, muitas vezes se libertam sem levar em consideração sua própria segurança.

Como uma criança geralmente experimenta a superproteção como uma forma de desconfiança e desaprovação, sua disposição de confiar nos pais fica abalada. As crianças mais jovens demonstram menos vontade de brincar e se envolver com seus pais helicópteros, enquanto as mais velhas não querem ser vistas ao lado de um adulto intrometido ou autoritário e evitam atividades compartilhadas.

Portanto, embora você deva sempre estar presente para seus filhos, permita também que eles tomem a iniciativa.

Consequências da parentalidade helicóptero

Como vimos, a parentalidade helicóptero tem efeitos negativos em toda a família: mãe, pai e irmãos. O desenvolvimento natural da criança é contido. Eles são impedidos de tomar decisões de forma independente e a ter a aceitação das consequências de suas ações; se envolvem menos com seus pais e outras pessoas em geral. Além disso, sua capacidade de julgar prioridades e confiar nas pessoas também é afetada negativamente.

Mães e pais helicópteros também sofrem com as consequências negativas. Além de ter um relacionamento mais tenso com seus filhos, eles passam por mais estresse e ansiedade. Compartilhar e apreciar a jornada de uma criança até a idade adulta é uma oportunidade única e fantástica que eles perdem, em parte, porque estão muito concentrados em detalhes como perigos e falhas.

Os pais se tornam muito intensos quando sentem que a segurança e as oportunidades de seus filhos estão em risco. Eles precisam que seus filhos aproveitem cada oportunidade e não há tempo para relaxar.

No entanto, filhos de pais helicópteros enfrentam o impacto das consequências negativas, especialmente quando entram no mundo competitivo da faculdade e do mercado de trabalho. Não há ninguém para se preocupar com eles, travar suas batalhas, tomar decisões e menosprezar as consequências quando elas falham.

Ser um pai helicóptero significa que você desencoraja seu filho pelo resto da vida. Eles estão em desvantagem quando saem de casa. Como não aprenderam a se defender, a tomar decisões de forma independente, a resolver seus próprios problemas e a lidar com consequências desagradáveis, eles tendem a ter dificuldades como jovens adultos.

Por outro lado, com o novo e empolgante gosto da liberdade que têm quando saem de casa, esses filhos exageram e se entregam a comportamentos excessivos e arriscados. Algumas pessoas abusam de álcool e drogas, dirigem rápido demais, mantêm relações promíscuas e tentam se encaixar ou impressionar amigos desajustados. Eles simplesmente não estão acostumados a tomar decisões responsáveis e a moderar seu comportamento.

Outros são incapazes de lidar com falhas e decepções inesperadas. Eles entendem tais situações de maneira traumatizante, entram em depressão e consideram se machucar. A vida fora do conforto e da proteção da casa da família pode ser difícil e implacável.

Seus pais helicóptero não lhes deram oportunidade suficiente para testar suas habilidades de enfrentamento e desenvolver sua resiliência antes de ter que se defender sozinho.

Se você se reconhecer como um pai helicóptero e entender o possível obstáculo criado para o desenvolvimento saudável do seu filho, existem algumas medidas simples que você pode seguir para minimizar seu envolvimento e a preocupação que o impulsiona a agir assim.

Dicas para evitar ser um pai helicóptero

Aqui estão 12 ótimas idéias para ajudá-lo a dar um passo para trás e permitir que seu filho desenvolva seu senso de independência e confiança.

  1. Avalie o nível de maturidade e responsabilidade de seu filho. Independente da idade, quanto mais estabilidade e responsabilidade uma criança demonstrar, mais liberdade poderá ter na escolha de suas próprias prioridades e tomar suas próprias decisões.
  2. Pare de ficar deliberadamente ao redor da criança e mostra confiança. Entendemos que você ama genuinamente e de todo o coração o seu filho e deseja o melhor para ele. Como tal, pode ser muito difícil e um pouco assustador se afastar e dar-lhe espaço. Aceite que eles também falham e tomam decisões ruins, às vezes, e tampouco fazem aquilo que você acredita ser o melhor. Esta é uma parte importante do processo de desenvolvimento das crianças.
  3. Mantenha uma rotina básica e regular com um tempo livre e em família. Evite detalhes ou a rigidez em excesso. Sempre mantenha a comunicação. Incentive seu filho a te contar o que está acontecendo em sua vida, compartilhando o que sente, pensa e seus sonhos. Atenha-se ao cronograma estabelecido, mas seja flexível para alterações.
  4. Faça um planejamento para desenvolver a autonomia. Continue a demonstrar interesse e oferecer apoio. Você está aqui para ensinar e orientar seu filho, não para regular sua vida e decidir sobre seus interesses e objetivos. Ajude ao invés de mandar. Pense em você como a equipe de apoio. Sempre esteja atento a segurança e ao desempenho, mas prepare seu filho para agir de forma independente.
  5. Permita que seu filho tome decisões, resolva seus problemas e assuma riscos. Estas talvez sejam as habilidades mais importantes que qualquer pessoa deve ter, junto com as sociais. É preciso praticar ao longo dos vários estágios de crescimento. Dê ao seu filho a oportunidade de aprender, conforme seu nível de maturidade.
  6. Ensine ao seu filho as consequências de seus atos ou escolhas. Determine limites. Nem sempre minimize ou resolva as consequências das escolhas ou do mau comportamento do seu filho em seu lugar. Arcar com as consequências é um mecanismo de aprendizado importante.
  7. Relaxe a pressão pelo desempenho. Reflita sobre seus conceitos de sucesso e daqueles ao seu redor. A vida, o crescimento e as conquistas não se resumem a apenas notas e medalhas. Não imponha suas ideias e gostos ao seu filho. Na medida do possível, deixe que conduzam seu próprio caminho e escolham seus valores e objetivos.
  8. Não deixe seus impulsos tomarem conta e falarem mais alto. Dê um passo para trás quando sentir necessidade de interferir. Regule você mesmo os seus sentimentos e atitudes. Nunca reaja de forma impulsiva. Converse com seu filho sobre suas preocupações. Escute suas explicações e ideias.
  9. Modere suas emoções e medos. Pode ser difícil, mas a depressão, ansiedade, raiva e outros sentimentos negativos são contagiosos e rapidamente afetam todos ao seu redor. Conforme seja possível, tente manter a negatividade longe do seu filho, ainda que você esteja passando por um período difícil. Seja uma fonte de energia positiva.
  10. Certamente, monitore o acesso à internet, uso de mídias sociais e movimentos do seu filho, mas o faça com moderação e tendo um bom motivo. Avalie o grau de responsabilidade do seu filho e conversa sobre os perigos em potencial que podem aparecer no mundo virtual ou real. Descreva situações hipotéticas e reais. Foque em estratégias para evitar que eles se metam em uma furada. Incentive seu filho a pedir ajuda, se precisar.
  11. Pratique ser objetivo. Coloque-se no lugar do seu filho. Em seguida, considere o seu ponto de vista como se fosse um terceiro. Seu filho tem uma explicação lógica para sua decisão ou comportamento? Quais são os riscos? Vocês reagindo de forma excessiva? Qual é a melhor forma de lidar com o problema ou decepção? O que você e seu filho podem aprender a partir disto?
  12. Por fim, sempre se lembre de aproveitar seus filhos e se divertir junto deles. Ame e aceite quem eles são de forma incondicional. É parte do amadurecimento cometer erros. Ensine-os a assumir seus erros e seguir em frente. Eles são seu maior presente na vida. Seja o mesmo para eles!

Conforme você possa e se sinta à vontade, experimente dar uma criação mais livre aos seus filhos. Incentive que eles ajam de forma independente e com uma supervisão limitada. Sempre incentive-os a procurá-lo em busca de ajuda e conselhos, mas oriente e ensine, em vez de limitar e determinar. Equilibre a liberdade e um relaxamento das regras, dependendo do seu nível de responsabilidade e maturidade. Essas são as maneiras de começar a mudar gerações de pais superprotetores.

Você notará melhoras em seus níveis de estresse, que lhe darão mais oportunidades de aproveitar e compartilhar experiências com seus filhos.

Últimos conselhos

Qualquer estilo de criação, assim como a parentalidade helicóptero, que seja excessivo é prejudicial ao bem estar e ao desenvolvimento saudável das crianças. Ser firme, ter regras, impor disciplina e monitorar o comportamento de uma criança não são de forma alguma atitudes ruins. Mas se for mais do que o necessário para proteger e cuidar de uma criança, provavelmente terá efeitos negativos não intencionais no crescimento emocional e no relacionamento de seu filho com outras pessoas, inclusive com seus pais.

O conselho mais importante é equilibrar seu monitoramento e restrições com o nível de responsabilidade e maturidade que seu filho demonstra ter. Observe seu comportamento. Se você notar alguma alteração que possa lhe preocupar, tente descobrir os motivos que levaram a isso.

Pode ser que seu filho tenha novos amigos que exerçam uma influência negativa; ter tido alguma decepção; ter problemas na escola ou estar sofrendo bullying; ser alvo de outros nas mídias sociais. Qualquer que seja a situação, separe um tempo e converse com seu filho sobre isso, sem julgar e se emocionar.

Se você tiver motivos, aumente o monitoramento de suas atividades e movimentos online para garantir sua segurança. Se eles tiverem um smartphone, você pode usar um aplicativo de rastreamento como o «Find my Kids» para receber sua localização GPS sempre que ficar preocupado. Use-o sempre com moderação e por um bom motivo. Isso dará mais confiança e mostrará que você realmente se importa, mas que o aceita incondicionalmente.

Por vezes pode ser difícil, mas não seja um pai helicóptero. Estar sempre por perto pode ter boas intenções, que seu filho provavelmente resistirá no futuro e não desenvolverá sua iniciativa e independência necessária na vida adulta.

brazilian banner fmk

email

Assine agora!

Enviamos artigos que auxiliam os pais.Só vantagens!
Leia mais

Faça o download gratuito para iOS e Android
iphone-X
Aplicativo móvel «Find My Kids»
Veja a movimentação do seu filho no mapa, ouça o que está acontecendo ao redor do telefone quando você não estiver por perto. Envie um sinal alto quando a criança não ouvir sua ligação.
Faça o download gratuito para iOS e Android
Baixar aplicativo
iphone-X
Assine o blog subscription