Pais tóxicos ✋ - quem são eles e como lidar com uma mãe ou pai tóxico | FindMyKids Blog
Fechar
Novo
Criação
Aparelhos
Histórias
Popular
2
fb vk tw
Link copiado
Entrevista com um psicólgo

Pais Tóxicos – Sofrendo com os pecados de seus pais

2
tw vk fb copy

Não vamos nos ater a crenças específicas, mas, de modo geral, as crianças acabam sofrendo com a toxicidade de seus pais. Pais tóxicos agem de forma agressiva, abusiva e desprezível com seus filhos, moldando sutilmente suas vidas e criando adultos que se sentem insatisfeitos, cheios de culpa e atormentados por dilemas emocionais. Se você é um pai ou mãe que deseja resgatar um relacionamento saudável com seu filho ou mesmo um filho que gostaria de abrir seu coração, mas não consegue, continue acompanhando este artigo.

Conteúdos:

O que são pais tóxicos?

Cada pessoa pode definir o termo «pai tóxico» de maneira diferente, especialmente em razão da complexidade que envolve a dinâmica do relacionamento e como ele é percebido individualmente. Um pai tóxico apresenta um comportamento narcisista que lhe permite viver através da vida de seus filhos ou oferece uma criação marcada pela competição, que prejudica os filhos e acentua a si mesmo. São pais que exigem que os filhos orientem suas vidas em torno da satisfação de suas necessidades e desejos.

Tipos de pais tóxicos

A grande maioria das crianças, em especial as mais novas, crescem acreditando que o estilo de vida que vivem em casa é o normal. Assim, as situações, relações e os comportamentos tóxicos presentes nas relações familiares acabam sendo considerados normais por todos os integrantes. Antes de analisar o comportamento que identifica a toxicidade nas relações parentais, veja um panorama geral sobre os tipos mais comuns de pais tóxicos.

Pais «mínimos»

Crianças que crescem sob os cuidados de pais que fazem apenas o essencial estarão familiarizadas com cuidadores que fazem apenas o mínimo necessário. Ao deixar as crianças terem total independência, esses pais não percebem o quão importante é a sua orientação na vida de seus filhos, o que resulta em uma total falta de impacto na criação dos pequenos.

Pais vigilantes e dominadores

Imagine os pais como fiscais e as crianças como apenas mais uma parte na equipe, que é a família. O fato de que as ordens sempre vem de uma figura central, com firmeza e estabilidade, faz com que a criança não vivencie fatos imprevistos e sua natureza controladora estabelece uma distância e cria uma falta de capacidade de orientação pessoal. Para um pai controlador, um filho nada mais é do que uma extensão de si mesmo, o que acaba lhe impedindo de desenvolver sua própria identidade.

Pais agressores verbais

A agressão verbal assume inúmeras formas e as crianças conseguem internalizar todas elas. Nem sempre o abuso será através de xingamentos, dominação e ameaças às crianças. A humilhação é a ferramenta favorita de um pai verbalmente abusivo, mas a motivação varia de família para família. Às vezes, o abuso verbal surge como uma competição, onde os pais são motivados por uma vontade de que seus filhos sempre se superem. Já para outros, trata-se de um padrão criado e que simplesmente não pode ser atingido, fruto de um perfeccionismo que não costuma ser seguido nem pelos próprios pais. Cinismo, sarcasmo e provocação são todas formas de abusos verbais, assim como o comportamento passivo-agressivo.

Pais sempre negativos

Uma atitude negativa constante acaba sendo tão danosa quanto uma agressão direta. Permitir que os problemas comandem seu comportamento denota falta de experiência. A vida vai perdendo seu brilho aos poucos à medida que as crianças são tomadas pela negatividade em geral, censurando pensamentos e atitudes e sempre fazendo um julgamento das coisas ao seu redor. Sentimentos de pavor e arrependimento começarão a anteceder cada experiência e vão se internalizar como algo totalmente normal.

Pais viciados

Viciados apresentam um comportamento tóxico, o que gera um ambiente que leva as crianças a aceitar atitudes moralmente questionáveis e totalmente inaceitáveis. Além disso, um viciado deixa seus filhos em um estado de vulnerabilidade, criando paranóia e ciúmes nos relacionamentos e um comportamento conivente com mentiras, enganações e traições.

Pais agressores físicos

As cicatrizes que são vistas em uma criança abusada fisicamente são as mais fáceis de tratar, existem ainda questões emocionais profundas que se manifestam sob diversas formas de desequilíbrio ao longo da vida. O abuso físico nem sempre precisa ser uma surra. A exaustão e a incapacidade em se comunicar com a criança pode levar a explosões de raiva marcadas por um tratamento grosseiro, como ser colocado no canto do quarto por um algum tempo só de raiva. As surras em si levam a uma série de complicações, incluindo a autoaversão, raiva e um caráter questionável.

Pais agressores sexuais

O abuso sexual, de qualquer forma, é uma depravação que causa questões emocionais generalizadas e profundamente arraigadas, resultando em uma série de consequências igualmente profundas e perturbadoras a criança vítima do abuso. A psicologia luta para compreender o que leva cada agressor a agir dessa forma. Em vez de se abrir para alguém em quem confiam, as crianças geralmente crescem angustiadas, sufocando o trauma psicológico causado pelo abuso.

Quais são os sinais de pais tóxicos?

A disfunção é o primeiro sinal de pais tóxicos, mas isso não significa que este problema se manifeste da mesma forma em todas as famílias. Aqui estão os 15 sinais mais comuns de parentalidade tóxica.

Desrespeito em geral

Pais tóxicos colocam suas próprias necessidades acima de tudo e de todos. Esta é a toxina mais comum nas formas de pensar negativas dos pais e gera excessos e desrespeito. Seja o desrespeito pelos ideais e desejos ou pelas suas escolhas, de amigos e parceiros, os pais tóxicos costumam minar seus filhos e as coisas pelas quais estes se interessam.

Descontrole emocional

Este é um pai que é constantemente vencido por fatores que lhe parecem estar fora de seu controle. Suas reações são exageradas em decorrência de estar sempre emocionalmente carregado de medo ou negatividade. Os pais que acham que estão sempre fazendo algo errado ou que pensam isso dos filhos, geralmente reagem excessivamente. Seja sendo agressivo ou passivo-agressivo, ambos são igualmente prejudiciais.

Explosões emocionais

Seja um ataque irracional de raiva, fúria ou a criação de uma nova regra da família, explosões emocionais raramente são culpa da criança. Sim, as crianças podem desencadear uma explosão emocional tóxica, mas são as emoções reprimidas, problemas mal resolvidos no relacionamento familiar ou em outras áreas não relacionadas que estão na raiz desse terrível estilo de vida.

Manipulação

A grande maioria dos pais tóxicos são manipuladores habilidosos. Grande parte dos seus atos de bondade são feitos com um motivo já em mente. Há uma intenção, um plano estabelecido para obter o que querem ou para parecerem bonzinhos. Os filhos são vistos apenas reflexos dos pais, ganhando quando os pais também ganham, o que justifica cada ato manipulatório na cabeça de quem agem dessa forma.

Lançamento de culpa

A culpa costuma ser associada a um jogo por um bom motivo. Pais tóxicos buscam um bode expiatório quando se sentem culpados. No lugar de admitir um mal-entendido, possíveis defeitos e os meros acasos da vida, os pais se sentem culpados. O impacto que isso causa sobre sua autoestima não é algo que seu ego consegue lidar, o que acarreta uma transferência dessa culpa para os filhos. É mais fácil ter um problema da criança que pode ser resolvido do que aceitar que falhou ou que é preciso melhorar em algum aspecto.

Falta de limites

Se seus pais não respeitam seu espaço, identidade, gostos, desgostos e preferências em geral, é provável que a atitude deles seja tóxica de outras maneiras também. Ignorar os limites é um sinal claro de toxicidade que precisa ser percebido e posto sob controle antes que leve as crianças a perderem o senso de si mesmas. Se elas não aprendem limites, é difícil respeitar ou criar limites pessoais mais tarde na vida.

Pais dominadores

Monitorar todos os aspectos da vida de uma criança é um sinal claro de toxicidade no relacionamento. Não há confiança, o que gera uma relação marcada pela paranóia, desconfiança e, em muitos casos, revoltas. No lugar de conquistar sua liberdade, a criança cresce testando seus limites devido às restrições que teve durante a infância. Sem a liberdade para amadurecer naturalmente, as decisões irracionais e uma percepção desequilibrada do valor geralmente assumem o controle.

Natureza crítica

Uma sofrimento comum aos pais tóxicos é ser julgado ou criticado a respeito de qualquer aspecto da vida da criança. Assim, em vez de permitir que seus filhos explorem e descubram suas personalidades e o mundo ao seu redor, as figuras parentais tóxicas tentam aprisionar a infância das crianças dentro de um molde que julguem ser o melhor. Quando a criança não se adequa a um determinado padrão, tido como a única opção correta, ela será julgada severamente.

Competitividade

Os pais que têm a necessidade de estar sempre certos sofrem de uma mentalidade competitiva que, constantemente, questiona sua própria autoestima. Quando ameaçados, atacam e transferem sua insegurança para os filhos. Esses pais também agem em constante competição com seus filhos por medo de suas deficiências percebidas. Em vez de incentivar conquistas, eles as minam ou ignoram.

Dependência emocional doentia

Os pais que apresentam uma dependência emocional doentia de seus filhos geralmente compartilham demais. Eles divulgam detalhes inadequados na tentativa de receber uma resposta emocional de você, para que tenham uma fonte de apoio. A manipulação acaba influenciando e transforma as crianças em indivíduos que cumprem a função de lhe servir de apoio.

Constrangimento

Pais que secretamente questionam ou minam sua própria capacidade de ser um bom pai pelos problemas que tem com a sua autoestima acabam constrangendo seus filhos. Infelizmente, atos mesquinhos, mas que mostram sua autoridade e a pequena consideração que tem sentimentos da criança são comuns nos relacionamentos tóxicos. Assim como os insultos e atitudes humilhantes.

Imaturidade

Assim que se percebe uma imaturidade de um pai ou mãe, deve-se ter em mente que o seu comportamento está tendendo a ser tóxico. Existem vários exemplos de imaturidade, desde manifestações absurdas de poder a simples xingamentos, mas essas e outras atitudes tóxicas devem ser evitadas. Filhos de pais tóxicos que parecem «superar» o trauma, às vezes, acabam se tornando excessivamente críticos e julgam demais, tanto os outros como a si mesmos.

Insensibilidade

Quando os pais tóxicos agem como mencionamos ou de qualquer outra forma, há uma característica que predomina, a insensibilidade. Ao manter seu foco firme em si mesmos, seu olhar enviesado faz com que os sentimentos de seus filhos se perca. Em vez disso, os pais tóxicos reagem a sua percepção do que está acontecendo no relacionamento, o que raramente é verdade devido à sua desconexão de seus filhos e da realidade.

Falta de interesse nas conquistas e desejos

Um pai tóxico está focado em si e em suas próprias vitórias, antes de qualquer coisa. Atos altruístas são transformados em atos egoístas através de um senso distorcido de autopreservação. Um pai que ignora e não demonstra interesse pelas conquistas de uma criança contribui para que ela acredite menos em suas próprias capacidades e em seu potencial. Os pais tóxicos costumam convencer os filhos a reprimir suas próprias expectativas e desejos, a fim de satisfazer seus caprichos, geralmente egoístas.

Incapacidade de se comunicar de forma sensata

A incapacidade de comunicação pode decorrer de vários fatores, que variam da infantilidade a frustração, mas, no final das contas, é ocasionado por uma dificuldade de se expressar. Se os pais não conseguem fazer seus filhos entenderem e dividirem seus pontos de vista sem conflito, sua própria incapacidade de comunicação já se mostra como uma toxicidade. Filhos de pais tóxicos recebem «nãos» sem motivo, raiva, ordens irracionais e, muitas vezes, são julgados com base em ideias e não em fatos.

Consequências e efeitos de uma relação tóxica em crianças

A paternidade tóxica tem efeitos negativos generalizados nas crianças e em seu relacionamento com os pais. Veja as consequências e os efeitos mais comuns em crianças que crescem dentro de um relacionamento parental tóxico.

Sentimentos constantes de culpa

Um sentimento de culpa recorrente é produto de parentalidade tóxica. Mesmo sem qualquer fundamento, as crianças crescem com um sentimento de culpa profundo, aceitando carregar uma culpa sem motivo e até mesmo antecipando-a em sua vida.

Adotam o papel de vítima

Com a culpa e o frequente papel de bode expiatório, assumem o papel de vítima em todas as situações. A criança pode se manifestar de maneira extrovertida ou introvertida, sendo uma forma de lidar com seu papel de vítima, o não deixa de ser uma distorção do seu verdadeiro eu.

Sentimento constante de arrependimento

Uma vez consolidada, a paternidade tóxica gera arrependimento, pois cada situação está ligada a algo ruim que aconteceu no passado. Se uma criança nunca se sente boa o suficiente, então nada será suficiente, levando ao arrependimento e prejudicando uma experiência de vida plena.

Baixa autoestima

O excesso de conselhos fracos que são fruto de uma criação tóxica leva à falta de autoestima. Uma criança não tem liberdade para sentir a plenitude de suas próprias conquistas, muito menos ver a beleza das pequenas coisas. Quando se cresce cercado de negatividade, vivendo uma vida sempre tentando «fugir», perde-se a capacidade de apreciar tudo que há de bom.

Ansiedade oculta e excesso de sensibilidade

Adultos mais nervosos foram, na maioria das vezes, crianças que cresceram em um ambiente tóxico. A ansiedade pode se manifestar sob diversos aspectos marcados pela hipersensibilidade, desde uma dificuldade em controlar suas agressões e raiva até depressão e distúrbios relacionados ao medo.

Consequências e efeitos de um relacionamento tóxico nos pais

Assim como as crianças, os pais também são afetados pela paternidade tóxica. Laços afetivos tensos criam estresse em todas os âmbitos da vida, mas aqui estão alguns efeitos prejudiciais de um relacionamento tóxico para os pais.

Tentativas excessivas de reparar algo

Nos esforços para consertar seu comportamento visivelmente tóxico, os pais arrependidos tentam excessivamente compensar seus erros durante os períodos de maior estabilidade no lar e na família. Surgem atos tendenciosos, como presentes, elogios ou atenção, mas essa compensação geralmente vem acompanhada de condições que servem como uma base para manipulação ou uma dependência emocional doentia.

Raiva autodestrutiva

Quanto mais os pais tóxicos tentam remediar seus relacionamentos complicados, mais prejudicam sua relação com os filhos. Em vez de se comunicar de forma racional, aberta e receptiva, eles se acostumam a tomar decisões quando estão bravos, frustrados ou se sentindo «desapontados». O comportamento autodestrutivo ocorre, destruindo o vínculo entre pais e filhos, o que por sua vez cria um comportamento ainda mais tóxico.

Instabilidade emocional e falta de razoabilidade

Infelizmente, os pais tóxicos podem estar totalmente conscientes das consequências da sua criação equivocada. No entanto, uma vez preso a esse papel e esses hábitos, pode ser difícil reconhecer a origem da maioria dos problemas. A raiva reprimida, a ansiedade e os pensamentos não resolvidos surgem e se manifestam como mudanças de humor, uma depressão e uma irritabilidade inexplicável.

Dependência doentia nos filhos e em valores equivocados

É extremamente comum que os pais tóxicos criem uma dependência prejudicial com seus filhos tendo por base valores e justificativas advindos de uma ética e moral equivocadas ou totalmente baseados em suas crenças. É aqui que a manipulação cresce, no lugar onde seus atos de bondade são cobertos por uma máscara que se funda em uma dependência emocional ou em motivos para controlar e manipular.

Sentimentos aterrorizantes de responsabilidade

Os pais tóxicos se sentem sobrecarregados sem qualquer justificativa ou motivo real. Os mais simples gatilhos emocionais podem deslanchar sentimentos irracionais de responsabilidade motivados, que são frutos de de sua autoestima. As crianças acabam se vendo como peso e, à medida que o relacionamento se deteriora, o sentimento de inadequação como pai ou mãe aumenta, criando mais um fardo.

Pais tóxicos na idade adulta

O desequilíbrios enraizados que surgiram ainda quando criança se transformam uma série de obstáculos mais tarde em sua vida adulta. Quanto mais cedo uma criança aceita a toxicidade como algo «normal», mais trabalhosa será a superação de seus efeitos tardios em sua vida. Não associam o problema com sua origem emocional, o que, por sua vez, acaba se manifestando de formas diversas, desde a raiva irracional e baixa capacidade de tomada de decisões, até uma incapacidade de se motivar.

A raiva e crítica são mal interpretadas por adultos que foram criados por pais tóxicos. Em vez de encarar essas interações sociais naturais, que são parte da construção de um relacionamento saudável, os filhos de pais tóxicos associam qualquer adversidade à raiva, irracionalidade ou buscam um isolamento total. Pais tóxicos criam adultos tóxicos, mas que se tornam adultos com uma excelente argumentação. Não, isso não é uma coisa boa. Tudo isso mostra o resultado da dissociação e de uma vida atormentada por ameaças implícitas invisíveis.

É possível que os pais tóxicos mudem?

As crianças precisam lembrar que não devem aceitar o comportamento tóxico de seus pais. Emoções, percepções e comportamentos negativos precisam ser discutidos abertamente. Perceber que há um problema e enfrentá-lo é o primeiro passo para a cura dos relacionamentos. E lembre-se: a culpa nunca é da criança!

Por fim, é importante deixar claro que os pais tóxicos amam seus filhos. Infelizmente, esse grau de disfunção normalmente é resultado deste amor. No entanto, é a sua expressão que é distorcida. Isso significa que, com empenho e boa vontade de mudar, é possível reverter esse comportamento.

Como deixar de ser um pai tóxico

Se seus filhos e o relacionamento de vocês estão sofrendo por causa de comportamentos prejudiciais, veja cinco dicas para ajudá-lo a deixar de ser um pai tóxico.

  1. Pare de mentir – Pais e filhos precisam aceitar e se permitir ser transparentes sobre todas as coisas, sem se preocupar com repercussões negativas. Tudo deve girar em torno da transparência e do respeito. Pare com julgamentos.
  2. Controle seus impulsos e não critique – Há uma enorme diferença entre corrigir e criticar. Da mesma forma, reagir quando se está abalado e nervoso e reagir de forma racional são coisas totalmente distintas.
  3. Viva no presente – A predisposição, inferências e percepção influenciadas por coisas que aconteceram no passado são o caminho certo para conduzir à toxicidade. Veja as crianças como elas são, aqui e agora.
  4. Substitua padrões de comportamento tóxicos – Faça uma avaliação honesta consigo mesmo e identifique padrões de comportamentos tóxicos em seus pensamentos e atitudes. Não tente sufocá-los, mas sim substitua-os por atos práticos e positivos. Tome medidas ativas para viver e agir melhor.
  5. Pense coisas poderosas e positivas – É melhor descobrir que estava errado do que alimentar pensamentos e crenças erradas que prejudicam seus filhos e relacionamentos. O perdão começa dentro de você e quando os pais aceitam a realidade de está reproduzindo uma forma de criação tóxica, é hora de começar a pensar mais nos filhos, na vida e em buscar formas de melhorar.

Como lidar com uma mãe ou pai tóxico?

Se você é uma criança ou adulto que sofre com o efeito de uma paternidade tóxica, aqui estão cinco dicas para lidar com sua mãe ou pai.

Decida se quer se libertar ou não

A decisão de trabalhar para melhorar este relacionamento e tentar mais uma vez ou se vai deixar pra lá e seguir em frente são duas opções totalmente compreensíveis. Às vezes, a melhor coisa que você pode fazer por você e pelos pais é manter distância; no entanto, somente você saberá quais limites serão corretos ou mesmo se é o caso de abrir mão da relação que vocês têm.

Seja proativo na comunicação 

Se perceber algo que gera um comportamento tóxico dos seus pais, converse a respeito. As crianças aprendem quais abordagens funcionam e não funcionam rapidamente, mas é fundamental reconhecer que há um problema de comunicação. Não fazer nada também não ajuda. Na verdade, só piora as coisas.

Tenha um plano de fuga educado

Não permita que seus pais tóxicos te arrastem para discussões ou usem você para fazer fofocas ou críticas do outro. Isso não é criar vínculos. Se você percebe como seus pais te trazem para esse comportamento nocivo, descubra formas educadas de escapar antes que seja tarde. Entrar em conflito não vale a pena.

Recuse explorações

As crianças nunca devem se sentir obrigadas a agir de forma irracional. Assumir a responsabilidade dentro de casa é algo normal, mas ser explorado e se tornar uma «bengala» emocional não são a mesma coisa. Não é certo deixar que comportamentos tóxicos continuem destruindo relacionamentos. Será preciso coragem, mas defender seu ponto de vista e falar abertamente é a única forma de conquistar mudanças.

Perdoe, antecipe e reaja

Enquanto a criança condena seus pais, é difícil perceber como se formaram seus vínculos de verdade. Se os pais estão tentando e se esforçando, dê uma chance. Ainda que eles tenham boas intenções, a mudança leva tempo, então perdoe pequenos contratempos, antecipe os gatilhos que geram reações tóxicas e ajude a evitá-las. Sempre reaja de forma justa.

Não se deve esquecer que os pais tóxicos, em geral, não sabem como parar seu comportamento. Mas veja que isso não é suficiente, é preciso reconhecer as toxicidades e seus efeitos danosos para então corrigir os problemas e os relacionamentos. Como você lida com a toxicidade? Você conseguiu consertar um relacionamento tóxico com seus pais? Nós encorajamos você a compartilhar suas experiências nos comentários abaixo. Seus comentários podem fazer toda a diferença para uma família que precisa de ajuda e inspiração.

brazilian banner fmk

2
Комментарии для сайта Cackle
Leia mais

Faça o download gratuito para iOS e Android
iphone-X
Aplicativo móvel «FindMyKids»
Veja a movimentação do seu filho no mapa, ouça o que está acontecendo ao redor do telefone quando você não estiver por perto. Envie um sinal alto quando a criança não ouvir sua ligação.
Faça o download gratuito para iOS e Android
Baixar aplicativo
iphone-X
Assine o blog subscription